Cuidar do espírito

Cuidar do espírito é um lema de nossa blogosfera que tem como objetivo publicar conteúdo sobre o cuidado do ser de forma integral: corpo, mente e espírito.

Mas mais que um lema é um entendimento de que a gente deve trabalhar para que nosso espírito flua e se inter-relacione com o corpo e com a mente.

Um corpo saudável não dura muito tempo sem uma mente saudável e sem um espírito saudável.

Uma mente saudável não dura muito tempo sem um corpo saudável e sem um espírito saudável.

E da mesma forma um espírito saudável não dura muito tempo sem um corpo saudável e sem uma mente saudável.

O Ser Integral

Nesta dimensão da vida somos uma integralidade de pelo menos essas três áreas.

Portanto é preciso, é necessário, é mandatório que se cuide dessas três esferas da vida.

Uma abordagem que chamamos de integral. Ou se você preferir, holística.

O homem todo e todo homem.

Homem como ser e não como gênero (hoje é preciso explicar tudo senão agente é tachado de um monte de coisas que a gente não é…).

E resolvemos separar e tratar os temas em blogs e sites distintos pra não ficar aquela confusão de você ver uma receita de bolo junto com uma reflexão sobre a Bíblia, por exemplo.

Os cuidados com o corpo, como alimentação, emagrecimento, fitness (modelagem do corpo), e beleza são tratados no www.meueeu.com.

Já os cuidados sobre a mente, envolvendo o seu desenvolvimento pessoal e profissional são tratados no www.somenteeu.com.

Aqui ficam os artigos, reflexões, opiniões, sobre o cuidado do espírito.

Mas já de cara um alerta:

 

Sem religião.

Em breve teremos uma série de artigos só sobre religião, explicando e enfatizando porque não entendemos que religião seja um caminho a ser adotado.

Só pra você entender um pouquinho, religião aprisiona, embota o pensamento, limita a cosmovisão, enfim faz muito do que você não deve fazer pra cuidar do espírito.

Nosso mote é falar do evangelho, não o do cristianismo, que é uma religião, mas o evengelho puro, a boa notícia de que as coisas estão resolvidas e que precisamos sim adquirir a consciência dessa grande notícia.

Nosso espírito é livre. Uma liberdade impressionantemente gigantesca. Dá até vertigem. Dá até medo, embora medo seja um oposto ao evangelho.

Tratar do espírito envolve “sair um pouco do corpo”, figurativamente, “sair um pouco da mente”, e olhar pra dentro, e descobrir as maravilhas assombrosas, para o bem e para o mal, que existem dentro da gente.

Tomar consciência do nosso poder de construção e do nosso poder de destruição.

Tomar consciência de que “O Espírito” resolveu habitar-nos, que é a razão de nossa vida, não a razão lógica, pensada, arquitetada filosoficamente, etc, mas a razão física, o ponto de encontro entre a matéria e a espiritualidade. (veja nosso artigo introdutório aqui, ou a série Respiração, que começa aqui).

Liberdade e Prisões

Cuidar do espírito é trabalhar para ficar livre desses aprisionamentos que temos.

Esses aprisionamentos são de muitas origens. Uma dessa origens é a religião, ou as religiões.

Não estamos dizendo pra você então abandonar tudo e achar um culpado. As religiões tem também sua contribuição positiva nas sociedades e culturas através dos tempos. Mas o legado final é mais aprisionante do que você pode imaginar.

Mas também existem outras fontes de aprisionamento, como sua ancestralidade.

“Meu avô já fazia assim.”

E por isso você se obriga a repetir um modus operandi, ditado pela “espiritualidade” de outrem.

Pode até ser positivo esse tal modus operandi, mas você tem que se apropriar dele se isso fizer de fato sentido pra você e se isso não te aprisionar, se isso te mantiver livre, que é a proposta do evangelho: liberdade.

Outra fonte de correntes e prisões é a sociedade onde você está inserido.

Mas ficar livre dos aprisionamentos sociais não significa lançar a revolução das revoluções com uma bandeira do tipo “abaixo a sociedade”!

Na série “A Revolução Suprema” que será lançada em breve, temos uma proposta para canalizar o esforço e desejo de uma nova ordem, uma nova sociedade, um novo mundo. Cadastre-se e não perca o lançamento.

A liberdade dos aprisionamentos sociais acontece dentro de você e não fora, na sociedade.

A sociedade muda com o passar do tempo, mas é um processo muito longo que transcende a vida de quase todos nós.

Portanto é melhor trabalhar a questão interior e ficar livre lá dentro do que ficar brigando com o exterior e ficar preso no interior e no exterior.

 

Nosso poder aprisionante

Outra fonter de aprisionamentos é a gente mesmo.

Como assim?

É isso mesmo.

A gente mesmo cria prisões e correntes que nos aprisionam. A gente trava em algumas horas por conta dessas prisões criadas interiormente.

Chamamos isso de religião própria. Você cria um monte de “podes e não podes”, um monte de “tem que”, que no fim só te prejudica. Só prejudica a liberdade proposta pelo evangelho.

Então temos algumas coisas que precisamos tratar. Aquilo que vem de longuíssima data, tradições. Coisas que vem do meio atual onde você vive. Coisas que vem de você mesmo.

Por onde começar?

Bom, acho que você não vai querer iniciar uma batalha épica contra o cristianismo, por exemplo. Ou contra outra religião qualquer.

Basta refletir sempre, e descartar tudo o que não combina com o evengelho. E como saber? Se tolhe a tua liberdade, descarte.

Opa, então vou tirar todas as travas do “bom comportamento” e “cair na gandaia”?

Espera aí!

Liberdade não é libertinagem.

Todo homem tem consciência do bem e do mal. Sabe intrinsicamente o que limita essa liberdade e o que abre as portas da mesma.

Então o homem é mesmo bom e a sociedade é que o corrompe?

Não é essa nossa posição e vamos abordar esse tema em outra ocasião.

Advogamos a necessidade da busca e evolução da consciência de quem somos, de onde estamos, de nossos propósitos, de nossa relação com a divindade, de nossa infinitude, de nossa realidade cósmica.

 

início

Sozinhos?

Mas alguns não tem essa capacidade. São limítrofes.

Verdade, e esses temos que carregar. O primeiro passo da consciência é reconhecer nosso estágio e condição. O segundo é perceber que não estamos sozinhos e que os demais estão em estágios e condições diferentes dos nossos.

Precisamos dos que estão adiante para aprender e evoluir e precisamos nos disponibilizar a ajudar os que estão aquém. Esses diversos estágios de consciência não nos tornam melhores ou piores. Continuamos humanos.

Quanto mais consciência adquirimos, mais desejo de trilhar caminhos de excelência!

É assim que você saberá se está evoluindo ou não.

Então não deixe de acompanhar as nossas publicações por que muito disso será abordado por aqui.

Cuide do seu espirito, mas cuide também do corpo e da mente.

não isolados

 

Além disso quando você se cadastrar abaixo, terá acesso a livros digitais também gratuitos.

Receba nossa correspondência com as novidades da nossa blogosfera. São muitas alternativas para todos os gostos.

Verifique essas alternativas todas conforme seu gosto. É só clicar!

Cadastre-se e curta!

Por hoje é só!

Um Excelente viver pra você!!

Marcus e Mel

MVE Produções

P.S.:

Gostou?

Compartilhe este artigo com seus amigos.