O caso do braseiro esfumaçante

/ setembro 25, 2022/ O que é a Bíblia

O que é a bíblia? (por Rob Bell)* - Parte 34

O caso do braseiro esfumaçante

clique aqui para começar com a parte 1

 

Há um ponto que eu preciso colocar nesta altura da série, um ponto que eu só posso fazer se primeiro fizer uma série de outros pontos, pontos que todos têm, um ponto.

Estes pontos tomarão vários dias para abordar, começando com o ponto de hoje sobre os potes de fogo fumegantes. (Eu realmente gostei de fazer esse parágrafo).

E mais uma vez para aqueles que mantêm a pontuação em casa, nós estamos apenas começando.

Primeiro, um versículo da Bíblia,

então, uma história.

Aqui está o verso:

Quando o sol se pôs e a escuridão tinha caído, um braseiro esfumaçante com uma tocha flamejante apareceu e passou entre as peças ...

- Gênesis 15

Agora, a história: Vamos dizer que você está tentando vender seu SW Volvo azul claro 1984 e um dia o telefone toca. É um homem chamado Roy, e ele diz que viu o seu carro no Craigslist** e que ele gostaria de vir vê-lo. Você está emocionado, porque você está querendo vender o carro já a algum tempo para que você possa comprar um desses PT Cruisers cor de carne, matadores.

Você combina a hora e Roy aparece. Ele dá uma olhada no carro e pergunta se pode dirigi-lo. Você dá as chaves a ele, e quando ele fica atrás do volante você pergunta onde o carro dele está, porque de repente você percebe que ele poderia simplesmente se mandar com o seu carro. Ele diz que estacionou ao virar a esquina. Bom o suficiente. Ele sai e você senta-se na varanda da frente com uma revista para esperar por ele .

E esperar por ele.

E esperar por ele.

Meia hora depois, ele ainda não está de volta.

Você assume que ele é apenas um cara minucioso.

Mas depois de uma hora algo não cheira bem, então você vai até a esquina para ver se o carro dele está lá. E enquanto caminha até lá você percebe que não tem ideia de que tipo de carro você está procurando, porque você não perguntou isso, e assim você volta para a sua varanda.

Você espera um pouco mais, dá um passeio ao redor do quarteirão, mas na marca de duas horas você está bastante convencido de que Roy roubou seu carro.

Então, o que você faz?

Você chama a polícia.

Por quê?

Porque é isso que você faz quando parece que seu carro foi roubado.

Vamos fazer uma pausa: você chama a polícia.

Pense em quão normal, natural e perfeitamente razoável é a resposta, e como isso é totalmente atônito. Você chama um número de telefone, um oficial te atende e faz perguntas, preenche um formulário e, em seguida, entram em contato com outras pessoas que transmitem certos detalhes e dentro de instantes uma enorme rede de especialistas com tecnologia e habilidades impressionantes está procurando o seu carro.

Eles o encontram. No Circle K*** a três quilômetros de sua casa. De acordo com o oficial, eles confrontaram Roy quando saía da loja com um feixe de lenha e um perfumador de ambiente da RedBull.

Agora aqui a parte estranha: Quando Roy foi questionado sobre o porquê ele estava dirigindo seu carro, ele disse que você lhe deu as chaves.

Essa foi a sua resposta - Eu achei legal, porque esse homem bom me deu as chaves do seu carro.

Quando os oficiais te dizem isso, você fica pasmo. O quê?

Mas ele não me deu o dinheiro do carro! Você responde.

Quando os oficiais explicam a Roy que você precisa dar a alguém uma quantidade de dinheiro antes de ir embora com o carro dele, ele respondeu:

Eu nunca ouvi falar disso. Que ideia ótima.

***

Você acha esta história estranha, certo?

Você acha essa história estranha e bastante incompreensível, porque você tem um sentido profundamente enraizado de como o negócio funciona: você concorda com os termos, cada um fornece o que combinou (dinheiro, carro, etc) e se você deixar de fazer sua parte, há consequências legais.

É por isso que nós temos contratos e é por isso que temos que preencher formulários e é por isso que quando você compra coisas com seu cartão de crédito, você costuma assinar por ela, você está concordando em manter sua parte no trato. Isto é verdade para a compra de casas, negociação de cavalos, e pegar um saco de Funyons**** a caminho de casa depois do seu jogo semanal de Squash.

Duas partes fazem um acordo: Eu vou dar-lhe vinte e seis dólares por ano, você me dá doze edições da revista Horse and Hound.

Todo esse sistema existe, sobrevive e funciona em boa parte do tempo de forma consistente porque está amparado por um sistema de aplicação da lei e da justiça que pune as pessoas por não cumprirem sua parte no acordo. Se você não pagar por seus Funyons****, a loja chama a polícia, e assim por diante.

Agora, uma pergunta que nos leva a um passo do ponto de hoje: Quatro mil anos antes na história da humanidade, quem você chama quando alguém não cumpre sua parte do acordo?

O que leva a outra pergunta: Antes de haver esses enormes sistemas complicados de aplicação da lei, de seguros, títulos de automóveis, transferências bancárias, cheques, 911 números de policiais, scanners e antes de haver estruturas elaboradas para manter a justiça, como é que as pessoas confiavam uns nos outros em manter os acordos?

O que leva a outra pergunta: Como é que os negócios eram feitos se não havia ninguém para acionar?

Agora, obviamente simplificando as coisas, nessa série de frentes aqui, mas uma resposta é esta: pacto.

No mundo antigo, quando você entrou em acordo com alguém, você fazia um pacto com ele, um juramento de fazer sua parte.

Primeiro, você pega alguns animais, como uma vaca ou um carneiro ou uma cabra ou uma pomba.

Em segundo lugar, você as corta ao meio.

Sim, ao meio.

Em terceiro lugar, você coloca as metades com espaço entre elas, formando um corredor.

Em quarto lugar, cada um fica de um lado do corredor feito de metades dos animais e a cada passo combinam sua parte no trato.

(Você: vou dar uma SW Volvo azul claro 1984 que faz um barulho de chocalho sinistro quando está a 90 Km/hora.

Roy: Eu vou pagar 2.713 dólares pelo privilégio de possuir um veículo tão majestoso).

Por que tudo isso? Por causa da próxima parte:

Em quinto lugar, você caminha entre as metades dos animais, enquanto você diz algo assim:

Possa eu me tornar como esses animais se eu deixar de cumprir a minha parte do pacto.

Você vê o poder de um pacto como este?

Você vê a importância desse tipo de ritual?

(Deixando de fora a violência contra os animais por agora...)

Você vê o ponto?

Nas culturas antigas, onde os sistemas de justiça e de aplicação de leis eram mais primitivos e, em alguns casos, inexistentes, sua palavra era seu vínculo.

Rituais como estes eram como a cola, o vínculo, o seguro, a maneira que as pessoas confiavam entre si.

Possa eu me tornar como esses animais se eu deixar de cumprir a minha parte do pacto.

(A propósito, é daí que vem a frase “cut a deal”)(sem tradução literal para o português – talvez “costurar ou amarrar um negócio” seja o mais aplicável).

***

Tudo isso nos leva a Gênesis 15, onde vemos Deus fazer grandes promessas a Abraão sobre a tribo que vai vir de seus lombos (nós vamos chegar à parte lombos amanhã em maior detalhe), que será um novo tipo de tribo no mundo. Abraão está com dificuldade em acreditar que Deus quer usá-lo para fazer algo assim no mundo,

especialmente por causa deste protesto

O que você pode me dar se eu ainda não tenho filhos ... ?

(Esse é o tipo de história que chuta a engrenagem da Bíblia: Deus diz a um homem que ele vai ser o pai de uma nação e, em seguida, o homem não tem filhos por muito, muito tempo. É estranho, desde o começo).

Deus, então, leva Abraão pra fora, mostra-lhe as estrelas, e lhe diz

Assim será a tua descendência.

Em outras palavras, você vai ter um monte de filhos. Confie em mim.

Que Abraão faz. O próximo versículo diz

Abrão creu no SENHOR, e isso foi creditado a ele como justiça.

Fique comigo aqui , porque é aqui que as coisas começam a decolar: No mundo antigo, os deuses eram considerados distantes, individuais, petulantes, esperando por você para oferecer-lhes sacrifícios para apaziguar a sua ira e mantê-los ao seu lado, certo?

É assim que as pessoas viram os deuses: fazer o que for preciso para manter seu favor. Ofereça o que você tem, sacrifique o que for necessário, faça o que puder para pacificar a ira dos deuses.

Mas esta história é sobre um Deus que passa muito tempo insistindo que esse Deus tem planos para fazer algo para Abraão.

A história é totalmente ao contrário. É tão novo e fresco que realmente não tem categorias para o quão inédito esse tipo de pensamento teria sido para aquela época.

Um deus que quer fazer o bem para uma pessoa? O quê?

E Abraão, ele acredita nisso. Ele confia que ... Isso é revolucionário, e nós vamos voltar a ele em um minuto. Mas primeiro um pouco mais da narrativa:

Deus, então, diz que vai dar-lhe algumas terras e Abraão pergunta

Como saberei que vou conseguir esta terra?

Deus responde:

Traga-me uma novilha, uma cabra e um carneiro ...

Você sabe onde isso vai dar, não é? Porque o próximo versículo diz

Abraão trouxe tudo isso a ele, cortados em dois e arranjou as metades opostas entre si ...

Porque é que Deus não tem que dizer a Abraão o que fazer com os animais?

Porque Abraão já sabe o que fazer. Ele e Deus estão entrando em um pacto, eles estão fazendo um acordo, e assim Abraão faz o que as pessoas em seu tempo faziam em situações como esta.

Deus, então, diz a Abraão todos os tipos de coisas que vão acontecer ao seu povo, o sol se põe, e no escuro

um braseiro de fumaça com uma tocha flamejante apareceu e passou entre as peças.

Deus, então, reafirma suas promessas feitas a Abraão, e essa parte da história termina.

Espere, o quê? Isso é o fim dessa história?

Epa. Um braseiro esfumaçante passa entre as metades dos animais?

O que é esse negócio de braseiro esfumaçante?

É um sinal da presença de Deus.

Assim, Deus passa através dos animais sozinho?

Sim.

Mas se Deus e Abraão estão fazendo uma aliança, por que Abraão não passa pelos animais? Não era assim que você combina as partes do acordo - AMBOS concordaram em fazer a sua parte?

Você está certo, é assim que funcionava. Mas nesta história, Deus é o único que passa.

É mais um exemplo de coisa familiar / não familiar que nós continuamos vendo na Bíblia,

Exatamente. A história começa com algo familiar que as pessoas naquela época faziam - como Abraão oferecendo seu filho, histórias de inundação, etc, mas, em seguida, toma um rumo inesperado ...

Então, qual é o ponto?

Deus se compromete a defender ambas as extremidades do negócio. Mesmo que Abraão deixe de fazer sua parte, este Deus será fiel.

Existe algo maior acontecendo aqui?

Sim. Abraão está sendo convidado a confiar em Deus, acreditar que Deus é bom e tem seus melhores interesses em mente e será fiel a ele, mesmo que Abraão faça uma confusão de coisas.

Essa resposta parece que está apenas arranhando a superfície do que está acontecendo aqui.

É. Esta é uma história sobre um ser humano que tem um relacionamento com um Deus vivo. Esta foi uma ideia nova na história humana.

Mas não é apenas uma relação de -

Exatamente. Trata-se de um tipo particular de relação com um tipo particular de Deus, aquele que é bom, gentil e generoso. Aquele que pode ser confiável. Um dos que continua insistindo Confie em mim, eu tenho isso.

Então, todos esses estereótipos sobre o Deus do Antigo Testamento, indignado e exigente são apenas isso: estereótipos?

Sim! Bem colocado. Esta história aqui em Gênesis é sobre a graça, confiança, amor e esperança.

Então, qual é o seu ponto?

Há muitos deles, mas vamos nos concentrar em um: este Abraão e a história de um braseiro esfumaçante é sobre uma nova compreensão de Deus, um Deus em quem Abraão é convidado a confiar e que sua tribo cresça na compreensão do que significa pertencer a este tipo de Deus bom e generoso. E todos nós sabemos como você faz crescer uma tribo ...

Não sabemos?

Epa. Na próxima, então...

 

A seguir:  Fazer o que com o que é nosso? (Parte B) - Mordida com Força meu amigo

 

* Série de reflexões sobre a Bíblia, escrita e publicada originalmente em inglês, no tumblr, pelo próprio autor Rob Bell e sua equipe.

Transcrito e adaptado para português por Marcus Vinicius Epprecht com autorização do autor. Proibida a reprodução para fins comerciais ou qualquer forma de ganho sobre este texto sem a autorização expressa do autor e do tradutor. Os posts originais em inglês foram desativados pelo autor em função do lançamento desse conteúdo em livro, por enquanto somente em inglês. Revisado por Fernanda Votta Epprecht.

** Craigslist é uma rede de comunidades online centralizadas que disponibiliza anúncios gratuitos aos usuários.

*** Circle K é uma rede internacional de lojas de conveniência que incluem 7 elevem, Sunoco e outras marcas.

**** Funyuns é a marca de um petisco de milho com sabor de cebola introduzido nos Estados Unidos em 1969 e inventado pelo funcionário da Frito-Lay, George Bigner. Funyuns consistem principalmente de fubá, em forma de anel, usando um processo de extrusão, representando a forma e a textura dos anéis de cebola fritos.

 

Além disso quando você se cadastrar abaixo, terá acesso a livros digitais também gratuitos.

Receba nossa correspondência com as novidades da nossa blogosfera. São muitas alternativas para todos os gostos.

Verifique essas alternativas todas conforme seu gosto. É só clicar!

Cadastre-se e curta!

Por hoje é só!

Um Excelente viver pra você!!

Marcus e Mel

MVE Produções

P.S.:

Gostou?

Compartilhe este artigo com seus amigos.

Share this Post